segunda-feira, 19 de abril de 2010

Velha demais aos 18

Eu tô me sentindo assim. Velha.
É engraçado pensar nisso, observar isso.
Eu não gosto das coisas que as outras meninas de 18 anos gostam. Mas, principalmente, eu não acredito nas coisas que as outras meninas de 18 anos acreditam.
Não acredito em amor, em "para sempre", em contos-de-fadas. Não acredito em lealdade, em "vou estar sempre com você". Não acredito em amizade pura e verdadeira, não acredito em altruísmo.
Uma ação 100% livre de interesses próprio? Não existe.
Amor? Não existe. Existe interesse, desejo, sexo. Existe a necessidade de ter alguém por perto. Existem infinitas coisas. Mas isso que chamam de amor? Não.
Antes eu achava que o mundo poderia mudar, sabem? Ser um lugar melhor... Um lugar que fosse realmente bom viver. Agora duvido muito que isso possa acontecer... Espero que seja só uma fase, eu mudo de ideia todo dia mesmo.
As pessoas mudaram muito nos ultimos anos. Sinto falta de quando tudo era simples. Lembro que nos meus 14 anos fotos eram tiradas para ficarem de recordação, não interessava quantos amigos você tinha no orkut e essas banalidades de twitter, formspring e tal sequer existiam. As crianças brincavam! E os adolescentes não queriam ser adultos o tempo todo.
O mundo realmente anda uma confusão ou sou eu que tô mudando?

8 rabiscos alheios:

Tatiana disse...

é, Mah... não se culpe! realmente o mundo tá mudando! Cabe a nós, tentar fazer ou refazer aquilo q é ou foi bom!!! E mostrar isso aos nossos filhos... quero muito levar meus filhos por esses caminhos que, na adolescencia tracei, mas se eles quiserem escrever um blog, vou curtir muito a ideia!!! entao, tem sempre um lado bom e ruim dessa tecnologia desvairada!!
meu msn: tuti_metamorfose@hotmail.com
assustei quando vc disse sua idade, é realmente vc é mto diferente dessa tripo teen!!! ;)

Cleyton Cabral disse...

Obrigado pela visita. Volte sempre sim. =D

Maria Lia disse...

Oi, Mah!
Pois é, to ensaiando uma volta pro meu refúgio das loucuras diárias... E procurando tempo pra dar uma paradinha na correria da vida, e visitar outros mundos, mas o negócio tá pegando. :S

Quanto ao post, sim, o mundo tá cada vez mais louco e individualista. Mas não desacredita do todo. Existem pessoas que pensam e acreditam no que tu acreditas. Eu digo isso pq as vezes me sinto uma estranha no mundo, mas encontro meus amigos e vejo que existem aqueles afins a mim. Claro q eles não tem exatamente os mesmos pensamentos ou princípios que eu, as pessoas são diferentes, mas a gente se encaixa, sabe? Nem digo amor, pq esse aí não tá de brincadeira comigo, mas amigos existem. É só tu entenderes que, como tudo na vida, os contratempos vão surgir, e o que importa mesmo é a essência da amizade. Essa nunca deve ser perdida.
Acho que isso também serve pro amor, mas ainda não posso te falar por experiência própria.. heheheh
A questão é: o todo pode até fazer com que as coisas pareçam completamente erradas, mas no meio dessa cagada sempre tem aqueles poucos que se salvam. E esses valem muito a pena.

Sil.. disse...

Mah, muitas pessoas pensam como voce.
Sabe de uma coisa? Eu tenho 44 anos, mas hoje eu vejo como é a adolescência da minha filha de 16 anos, e comparo com a minha. Sinceridade?
Não trocaria a minha por nada desse mundo.
Viviamos felizes, tinhamos as nossas baladas, turmas, musicas, mas era diferente.
Tinha uma ingenuidade no ar sabe? A gente podia sair livremente que nada acontecia. Viviamos nos encontrando, olhos nos olhos e tal.
Hoje, um bb já nasce com celular, notebook, vivem um mundo virtual. Tudo mudou.
Sei que tudo evolui claro, e ajuda muito, mas acho que as coisas hoje andam super desencontradas. Enfins...seja lá o que Deus quiser rs.
Grande abraço!

Flor disse...

Mah, obrigada pela visita...Quanto ao seu post, eu tenho 25, a minha adolescência foi um dia desses, mas parece que foi em outra época, de tanto que a juventude de hoje está mudada, as vezes me assusta. Eu não era experiente (ou metida a experiente), eu não era arrogante como muito jovens são e muito menos abandonava certos conceitos socias, eu gostava de um cara vir atrás de mim, de paquerar e não de já ir chegando como vejo muito hj em dia, eu gostava da magia. E apesar de tudo, de eu concordar bastante com seu post, eu ouso acreditar, aliás, eu ainda acredito e talvez eu vá pagar muito caro por essa crença...mas eu acredito na humanidade, no amor sem interesse, mesmo que eu nunca encontre. Alguém deve ter um por aí. Adoro contos de fadas...hahhaah

bjuss
acho que escrevi demais, adorei teu blog, vou te seguir.

Lari disse...

Acho que os dois. Você deve estar mudando e o mundo, certamente, anda uma confusão só.
Já deixei de acreditar em muita coisa e já preferi, secretamente, me iludir com muitas outras só pra ver a vida com um olhar mais doce.
Já me senti velha aos 18 e não quero nem lembrar que já passei disso. Já deixei de acreditar no amor, mas nunca desisti de crer em amizades verdadeiras. Apesar de toda essa loucuro de 'celebridade instantânea' dos sites de relacionamento, somos nós que devemos aprender a separar as coisas. Foi assim que eu aprendi que posso tirar fotos para colocar no orkut, 'colecionar' alguns seguidores no twitter e responder a perguntas de anônimos no forms sem paranóia... Ainda tenho meus amigos e, por hora, um alguém pra chamar de amor. E, sinceramente, se é tudo mentira eu prefiro não saber ;D

Daaai Veeras :* disse...

a gente perde a esperança pelas coisas com o passar do tempo, com as decepções, e tudo isso no fundo não passa de um ensinamento ! talvez a falta de 'dias melhores' nos façam ficar perdidos, sem mtas razões pro amanhã ! viver e deixar a vida passar, e qual a graça ? acredite, mesmo qe as coisas fiquem dificieis a ESPERANÇA pode transformar o futuro ! e nada melhor qe o presente pra isso ! beiijo linda (L) :*

Lucas Jabur disse...

Quem disse que tem como ficar nova com 18 anos?
Brincadeira chériiiii! aHuahaUAHuAHa