terça-feira, 26 de outubro de 2010

Procura-se: Opniões sinceras

Oi gente! Tudo bem?

Escrevi isso n'outro dia e queria muito que vocês disessem o que acharam, pode ser? ;p

"...Foi naquele dia, depois da aula, quando estávamos os quatro juntos esperando que minha madrinha nos buscasse, que eu o vi pela primeira vez.


Ele se aproximou para falar com o Eduardo e nem pareceu notar que Taty, Bia e eu existíamos. Os dois trocaram algumas palavras sobre algum plano para as férias e então ele foi embora, com o mesmo sorriso de quando se aproximou.

Era o sorriso mais lindo que eu já tinha visto nos meus onze anos e meio de vida. Tinha os dentes brancos e bem alinhados, e sorria de um modo torto, quase tímido, que era contagiante. Me fez ter vontade de sorrir também.

Naquele dia, enquanto esperava minha madrinha na porta da escola reclamando do sol quente do verão brasileiro, eu entendi porque minhas novas amigas tinham tanto interesse em conhecer o meu “primo” Nathan.

Não consegui deixar de olhá-lo até que seu corpo se torna-se apenas um vulto distante subindo a rua. Ele tinha a pele que me fazia lembrar o sol. E os olhos muito verdes que contrastavam com o cabelo castanho e a pele queimada. Ao contrário de Eduardo, apesar de ter a mesma idade, tinha o corpo bem desenvolvido e forte, como se passasse horas malhando.

Só consegui voltar à realidade quando minha madrinha chegou para nos levar para casa. E ainda assim a única imagem em minha mente pelo resto do dia era aquele sorriso que dava vontade de sorrir."

2 rabiscos alheios:

Cízz disse...

Aí que lindo! *-*
Eu praticamente pude ve-lo em meus pensamentos, como se eu estivesse lá tbm.
Está bom!
:3

Maria Lia disse...

Lembrei da primeira vez que vi o meu "Nathan", quando tinha quase 12 anos. Caramba, foi bom ler esse texto. Não sei que efeito ele vai causar em outras pessoas, mas, em mim, foi exatamente aquilo que eu espero que aconteça quando leio algo.
Ou seja, é um bom texto! =)

:*