sexta-feira, 16 de julho de 2010

The Underground - Edinburgh



Como já dito antes, Edinburgh é uma cidade de grandes mistérios e uma história fascinante. Grande parte dessa história é contada através dos mistérios, nos muitos tours assustadores realizados na cidade velha (royal mille, lembram?).
Na minha primeira segunda feira aqui Gaia, Monika, Silvia, Iris e eu fizemos o "City of Dead". Tinhamos que estar no ponto de encontro às 9 da noite e às 9 da noite lá estavamos. Sob um leve chuvisco, tremendo de frio e esperando o resto do grupo. Quando já eramos um grupo demais ou menos 15 pessoas um homem todo vestido de preto (entre a Monika e a Silvia na foto) apareceu com cara de bravo e pediu que nós o acompanhassemos. Andamos até uma estátua e ele começou a contar a história de Edinburgh.
Por volta de 1500 a população de Edimburgo (por volta de 4 mil casas) ficou grande demais para a cidade, que era cercada por um gigantesco muro de pedra construído para proteger a cidade contra as invasões dos temidos *risadamaléfica* ingleses. Como ninguém pensou em destruir o muro e fazer as pazes com os ingleses alguém teve a ideia de começar a contruir casinhas em cima de casinhas. Ou seja, predinhos. Acontece que os predinhos foram ficando muito altos, mal construidos e expremidos e não tinham mais como construir pra cima. "E agora, o que faremos?" Perguntou um escocês de saia. Foi aí que um outro levantou a mão e sugeriu "vamos construir pra baixo!" E assim foi feito.         Como ainda não existia saneamento nem nada do tipo, todas as necessidades feitas por toda a população da cidade eram simplesmente jogadas no lixo, junto com restos de comida, animais mortos, resto de gente e tudo o mais o que você imaginar. No final de cada dia uma pessoa de cada casa colocava a cabeça pra fora da janela e berrava "garde-lou" e então jogava toda a caca janela a baixo. Imaginem todo mundo fazendo isso ao mesmo tempo. Eca. Vai ver era por isso que o nome antigo de Edimburgo era Aulderick (em gaélico, Auld- velho e Rick- Mal cheiro). Mas, voltando a história... Construiram as casinhas pra baixo, com tudo sendo jogado janela a baixo nos 6 andares acima... Conclusão? Não era uma boa ideia morar nos undergrounds, né? Por isso quem acabava indo parar lá eram os mais pobres, doentes, viúvas e criminosos fugitivos. Lugar legal pra se morar não?
Na primeira visita, city of dead, fomos em algumas "casas" subterraneas. Cada "casa" era apenas um quartinho, onde moravam cerca de 10 pessoas. Paredes de no máximo 2 metros de altura, um frio de doer os ossos, sem ar corrente, sem luz... E eles construiram até 6 andares subterraneos. Imagine morar a 12 metros de baixo da terra? O máximo que uma pessoa vivia depois de mudar pra lá, levando-se em conta um adulto saudável e bem alimentado, eram 2 anos (lembrando que a espectativa de vida na época era de 30 e poucos anos...). Sem contar com o grande indice de violencia e as ondas de doenças. Até que em 1700 veio a peste negra e matou todo mundo, basicamente. Foi isso que visitamos no segundo tour, Mary King's Close. Aliás, sugiro pra todo mundo que vier em Edimburgo visitar esse lugar. Perfeito.
Mary King's Close era uma rua comercial. Com casinhas tanto pra cima quanto pra baixo, moravam pessoas mais ricas ali... O legal é que podemos ver tudo mobiliado. Tanto uma casa "pra cima", exatamente a casa de Mary King, com todo o luxo que 1700 permitia ter, quanto uma casa "pra baixo" com toda a pobreza que se possa imaginar. Com a peste, e sem tratamento, as pessoas simplesmente eram deixadas em seus undergrounds para morrer. Quem não ficou doente fugiu do lugar, quem ficou morreu. Conclusão, Mary King's Close ficou abandonado por anos e anos. Quem teve coragem de voltar pra lá, mais de 20 anos depois do fim da peste, jurou ter sido visitado por fantasmas de mortos pela peste. Até hoje muitos paranormais visitam o lugar e alguns tem certeza de presenças e tal. Bem... Por experiencia própria posso contar o seguinte:
No city of dead só senti frio e um cheiro ruim, o que acho completamente normal quando se está de baixo da terra. Já em Mary King's... Como eu disse, algumas famílias lá eram mais ricas. Algumas, que viviam no primeiro ou segundo andar "pra baixo" tinham até 3 comodos. Uma dessas famílias tinha uma filha de 6 anos, Anne. A garotinha teve a peste, o resto da família não. Com medo de adoecer também os pais e os irmãos abandonaram Anne trancada no quarto até a menina morrer, provavelmente vários dias depois. Isso foi descoberto no começo de 1900, quando começaram as escavações no local e um paranormal visitou os quartos. O homem, japonês, disse ter visto a garotinha e falado com ela, que disse ter ficado sozinha depois de adoecer e de que as irmãs dela tinham levado todas as bonecas. Depois disso o cara comprou dezenas de brinquedos e mandou pra Anne, enfim. Acontece que nessa época não tinham nenhum documento ainda, só a história do cara. Alguns anos depois acharam documentos sobre quem morava onde e quem era quem em cada família... E não é que naquele lugar realmente morou uma família que fugiu da peste deixando a filhinha Anne, de 6 anos, pra trás? Entramos no cômodo antes de o guia nos contar a história. E assim que pisei dentro do quarto senti meu coração apertar, um frio muito grande e uma sensação de nó na garganta. Fiquei super impressionada depois que o guia contou a história, justamente por eu ter sentido algo antes. Tem gente que acha graça, tem gente que acredita. O que vocês acham?

4 rabiscos alheios:

Lys Fernanda disse...

Hum, ja estou meio perdida por aqui, perdoe a minha ausencia, eu estava sem internet. Beijao querida.

Fabioc disse...

Se eu disser que acredito estarei mentindo, porém, se eu disser que isso tudo é mentira, cometeria o mesmo erro.
Gosto de ouvir histórias assim, assimilar a cultura do lugar e saber o que mexe com a cabeça do povo. Muitas histórias devem ter sido distorcidas com o tempo, algumas foram incrementadas para chamar mais a atenção...mas eu acho que não dá pra fingir que fenomenos espirituais existem, que histórias tenebrosas aconteceram, como o caso da garotinha de 6 anos...
Enfim, não acredito em tudo, mas não descarto a possibilidade de existir alguma verdade nas histórias, o que já é bem assustador!!!
Fico imaginando a nojeira que era viver séculos atrás, sem saneamento básico (aliás, ngm dá mta bola para obras de saneamento básico, pessoas assim deveriam morar em cidades como as do passado)

Talitha disse...

Legal, e bem curioso essa história hein
Mais adorei, super interessante.

Kiss...

Raffinhaaaa disse...

Achei muuuuuuuuuito interessante esse post!!
Dá vontade de ir demais ver tudinho!!
Amei o post Mah!!
Beeeeeeeeeeeeijos